Por Fabiano de Abreu Bittencourt
Zootecnista CRMV/Z n 703 RJ

Naturalidade

A comumente citada hoje em dia “naturalidade” nada mais é do que o respeito à condição de conformação física e também da marcha expressada por cada indivíduo.

Como pensar no preparo de um animal respeitando essas características? Simplesmente estudando mais sobre conformação e sobre a própria marcha, obviamente entendendo e adequando ao padrão do Mangalarga Marchador.

A verdadeira marcha (picada ou batida) possui características próprias e, infelizmente, observamos algumas tentativas de mascarar ou até mesmo alterar a marcha, impondo uma situação que não é a natureza da marcha do indivíduo, o famoso “encartado”.

Será que precisamos desse animal para a seleção de marcha? Tenho certeza que não! Será um cavalo de corrente nas patas, ferraduras alteradas, e outros artifícios mais, um bom reprodutor?   

Essas questões sempre estão nas rodas de prosa de nosso meio (técnicos), onde escutamos opiniões das mais diversas e filtramos, na certeza que da parte técnica da ABCCMM há uma grande preocupação não só em coibir esses animais nos julgamentos, embora ainda apareçam , mas também um começo de discussão em como conhecer mais sobre as fases de desenvolvimento em termos de andamento dos potros(as) da marcha picada. Essa ação conjunta entre técnicos e árbitros da ABCCMM se faz necessária. Obviamente que a participação dos criadores é fundamental para que cada vez mais tenhamos animais genuínos = puros = naturais no andamento.

Outro ponto em que precisamos não só dos técnicos da ABCCMM, como também dos bons cavaleiros e dos criadores, são as ditas gambiarras equestres. Temos que acabar com esses modismos que aparecem em nosso meio e se espalham rapidamente, como embocaduras inventadas e algumas de ação duvidosa sobre o ponto de vista de bem-estar animal.

Chicotes atados à sela, sem sentido, além de não serem usados, estão alterando algumas condições de apresentação

Sela fora de posição, causando lesões e mais lesões de cernelha e espádua dos nossos animais.

É fundamental que todos esses temas entrem em nossas discussões, para que tenhamos animais andando confortáveis (atitude adequada para o indivíduo  e marcha apresentada pelo mesmo, nada copiado de outro, de conformação e marcha diferentes) ajustados pelos bons cavaleiros, demostrando brilho e confiança, desembaraçados e não obrigados, justos na mão sem estarem pesados, alertas aos comandos e desempenhando uma marcha que sua genética lhes permite, obviamente abrilhantada por um bom treinamento e um grande apresentador o conduzindo!

Tenho certeza de que, com essa união, técnicos, bons cavaleiros e criadores, iremos ter animais cada vez melhores e, com isso, reproduzindo também descendentes de altíssima qualidade!